Defesa Civil

O que é Proteção e Defesa Civil?

É o conjunto de ações preventivas, de socorro, assistenciais e recuperativas destinadas a evitar ou minimizar os desastres, preservar o moral da população e restabelecer a normalidade social.

 

O que é a Defesa Civil de Ponta Grossa?

A Defesa Civil é uma das Coordenadorias que integra a  Secretaria Municipal de Cidadania e Segurança Pública (SMCSP). Ela trabalha constantemente na prevenção e auxílio aos cidadãos vítimas de grandes acidentes ou desastres naturais.

 

Como posso entrar em contato?

A Defesa Civil pode ser acionada através dos fones (42) 3901-1498 e pelo 193 do Corpo de Bombeiros.

 

Quando devo acionar a Defesa Civil?

Em situações que oferecem risco às pessoas causadas por intempéries ou grandes danos como: enchentes, enxurradas, inundações, alagamentos, granizo, tempestades, vendavais, deslizamentos, incêndio florestal, etc.

 

Entenda os principais riscos e saiba como agir
Vendavais

São ocasionados por deslocamentos violentos de massas de ar e geralmente, estão relacionados à chuvas intensas. Dotados de grande poder de destruição, podem derrubar árvores, postes, causar destelhamentos, etc.

O que fazer

Caso haja um vendaval, desligue a energia elétrica e o gás de cozinha. Coloque no chão todos os objetos que possam cair.

 

Deslizamento

Acontece quando há o escorregamento do solo. Geralmente ocorre em áreas íngremes e/ou inclinadas e desmatadas. Áreas como fundos de vales estão entre os locais mais afetados.

Como prevenir

Evitar o desmatamento, o acúmulo de lixo e a construção de moradias em encostas ou morros. A perda de vegetação proporciona o encharcamento do solo que, quando em excesso, causa os deslizamentos.

O que fazer

Em situações iminentes de deslizamento, que pode ser precedida de rachaduras, fendas e buracos no solo, avise o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil, caso seja orientado, saia imediatamente do local.

 

Inundação ou alagamento

Grande volume de água acumulado quando não há escoamento suficiente. Pode ocorrer em áreas próximas a rios, córregos e afins, assim como na área urbana com galerias pluviais insuficientes. Fatores como a impermeabilização do solo, desmatamento e acúmulo de detritos contribuem para inundações e alagamentos.

O que fazer

Encontre um local seguro e acima do nível da água. Desligue a Energia Elétrica. Feche o registro de entrada de água e aloque o lixo em áreas não sujeitas a inundações. Tranque bem portas e janelas. Evite ao máximo entrar na água. Além de doenças causadas pelo contato com o lixo, as fortes correntezas podem causar afogamentos.

 

Tempestades e raios

São fortes chuvas, acompanhadas de raios e trovões.

O que fazer

Em situações com raios e trovões, evite lugares abertos e a utilização de automóveis sem cobertura. Não estacione próximo a árvores, linhas de energia elétrica nem se abrigue próximo a torres, árvores altas e isoladas. Caso esteja dentro de casa, afaste-se de tomadas, janelas e portas de metal. Também não é indicado o uso de telefones com fio ou equipamentos ligados à rede elétrica.

 

Granizo

Ocorre quando há mudanças bruscas de temperatura, acarretando o congelamento das gotas de chuva. São formados em nuvens muito grandes e altas. Sua incidência se dá, principalmente, em áreas de clima quente e úmido. Com grande potencial destrutivo, o granizo pode causar danos a telhados, lavouras, carros e casas, além de, em alguns casos, atrapalhar o trânsito de veículos devido ao seu acúmulo nas vias.

O que fazer

Procurar abrigo em estruturas sólidas e robustas até o fim da chuva de granizos. Também é importante evitar se esconder embaixo de árvores, out-doors e em locais com telhados metálicos e telhas de fibrocimento.

 

Incêndio florestal

Caracterizado pelo alastrar do fogo em locais de grande cobertura de plantas e árvores, o incêndio florestal pode causar diversos danos tanto para a biodiversidade como prejuízos aos cidadãos. Dentre os fatores que podem contribuir para sua existência, estão a imprudência de pessoas ao jogar cigarros ou deixar fogueiras acesas em locais de vegetação seca; também pode ser ocasionado por queimadas que fogem do controle, incidência de raios, etc.

O que fazer

Nunca tente combater um incêndio sozinho. Acione o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil.

 

 

HISTÓRICO DA DEFESA CIVIL

Início no ano de 1942 surgiu o Serviço de Defesa Passiva Antiaérea.

Em 1943, a Defesa Passiva Antiaérea passa a se chamar Serviço de Defesa Civil.

Em 1966 foi organizada a primeira Defesa Civil Estadual do Brasil. Foi no Rio de Janeiro.

Em 1988, foi criado o Sistema Nacional de Defesa Civil (SINDEC). O SINDEC foi reorganizado em 1993 e atualizado por intermédio do Decreto Federal Nº 5.376, de 17 de fevereiro de 2005, estando vinculado ao Ministério da Integração Nacional. Nessa nova estrutura do SINDEC, têm destaque a criação do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD) e do Grupo de Apoio a Desastres e o fortalecimento dos órgãos de Defesa Civil Estaduais e Municipais.

 

LEGISLAÇÃO

Lei Federal Nº 12.608, de 10 de abril de 2012 – Regulamenta a Defesa Civil hoje.

Institui a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil – PNPDEC; Dispõe sobre o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil SINPDEC e o Conselho Nacional de Proteção e Defesa Civil – CONPDEC; Autoriza a criação de Sistema de Informações e Monitoramento de Desastres; Altera as Leis Nº 12.340, de 10 de dezembro de 2010, Nº 10.257, de 10 de julho de 2001, Nº 6.766, de 19 de dezembro de 1979, Nº 8.239, de 4 de outubro de 1991, e Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996; e dá outras providências.

 

Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de Ponta Grossa

Lei Municipal  Nº 11.563, de 29 de novembro de 2013

Institui o Plano Municipal de Proteção e Defesa Civil – PMPDEC; Dispões sobre o Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil – SIMPDEC e o Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil – CMPDC; Autoriza a criação de Sistema de Informações e Monitoramento de Desastres, a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil e dá outras providências.

 

ONDE ESTAMOS